segunda-feira, 29 de junho de 2009

"Ai, se sêsse..."

Ai se sêsse!

Se um dia nois se gostasse
Se um dia nois se queresse
Se nois dois se empareasse
Se juntim nois dois vivesse
Se juntim nois dois morasse
Se juntim nois dois drumisse
Se juntim nois dois morresse
Se pro céu nois assubisse
Mas porém acontecesse
de São Pedro não abrisse
a porta do céu e fosse
te dizer qualquer tulice
E se eu me arriminasse
E tu cum eu insistisse
pra que eu me arresolvesse
E a minha faca puxasse
E o bucho do céu furasse
Tarvês que nois dois ficasse
Tarvês que nois dois caisse
E o céu furado arriasse
e as virgi toda fugisse

(Zé da Luz)

vixi pode crer esse poema é massa" Ai se sêsse!" kkkk!!

mas se você num vê-se
eu queria que alguém lhe mostrasse
um poema aparentado desse
que eu fiz pra que todos lê-se...
o poema que fiz foi esse:


"Ai, se sêsse..."

Se um dia o céu arriasse
Se a terra toda tremesse
Se o tempo que tem vortasse
Se a vida que vem morresse
E se ainda sim nois se amasse
E aqui em mim tu vivesse!
Eu dizia...
Que todo tempo que vem passe!
Que toda vida que tem vá-se!
Que a terra se dirmantelá-se
E tu cum eu, no céu se amá-se...
É possívi que tudo vá-se
...mas nu dia que nós se amasse
Me adimirava se o céu passa-se!
Pois se o céu todo eu dá-se
Ao amor que pur tu mostrasse
Pra esse amor que nois dois vivesse,
O céu tinha que sê mais maior du que esse...
















...
Ai, se sêsse...
é porque tinha de sê!




(Igor Barbosa)

3 comentários:

olharpordentro disse...

gostei mesmo,muito, do tamanho do céu, desse céu, seu, meu...

Ela disse...

massa!

Silvana Florencio disse...

Adorei a sua versão continuada do poema!


"Ai, se sêsse...
é porque tinha de sê!"

Perfeito!!!

Quem Passa:

Minha lista de blogs

Pesquisar este blog